Senadores aprovam Previdência em primeiro turno

Placar foi de 56 votos favoráveis e 19 contrários

No final da noite desta terça-feira (1º), o Plenário do Senado aprovou, por 56 votos favoráveis e 19 contrários, o texto-base da Reforma da Previdência em primeiro turno. Antes do projeto ser submetido a um novo turno de votação, os senadores precisam analisar dez destaques. A sessão se estendeu por quase quatro horas. Eram necessários 49 votos para a aprovação da matéria, o que representa três quintos da Casa. 

O atraso na sessão foi motivado pelas inscrições de vários senadores para discursar. Na avaliação do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), as mudanças nas regras de acesso à aposentadoria são o ponto de partida para a aprovação de novas reformas. 

“A votação dessa reforma é a votação da consciência de um país que precisa ser reformado. Sem dúvida nenhuma, essa é a reforma mais importante do Estado porque, sem ela, não seríamos capazes de fazer outras. O Estado brasileiro está capturado, sem condições de investimento. O Senado, a Câmara dos Deputados, dão demonstração de grandeza, de espírito público e do verdadeiro significado da democracia”, destacou. 

Projeto impopular - O relator do texto, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), classificou a proposta encaminhada pelo Governo Federal como impopular, mas destacou que ela é necessária para organizar as contas públicas. 

“O Brasil, na maneira que vai, dentro de aproximadamente dois anos, se não fizermos a reforma previdenciária, vamos chegar a um momento, já em 2021, em que a União não terá um tostão sequer para investimento. Vamos entrar numa era em que todos aqueles discursos proferidos aqui e aqueles desejos sonhados aqui ao redor da educação, da saúde e do emprego não poderão ser alcançados ou sequer que haja tentativa de alcançá-los”, afirmou Jereissati.

Leia mais

Jornalismo Paiquerê FM News com informações da Agência Brasil