Londrina já doou mais de 93 toneladas de ração a ONGs e famílias vulneráveis

Desde quando foi criado o Banco de Ração Municipal, em 2018, mais de 500 pessoas e duas entidades da causa animal foram beneficiadas

A Secretaria Municipal de Ambiente (Sema) divulgou o balanço do programa de doação de ração animal, o Banco de Ração. De acordo com os dados, desde que foi criado, em 2018, até o momento, foram doados 93.627 quilos de ração para organizações e entidades não governamentais (ONGs), famílias vulneráveis e protetores individuais. Ao todo, receberam as doações 529 pessoas em Londrina, além da Associação Defensora dos Animais de Londrina (ADA) e da Organização SOS Vida Animal. Para isso, o município investiu a quantia de R$ 401.489,25.

Londrina foi a primeira cidade brasileira a criar o programa Banco de Ração, que visa captar doações de produtos e gêneros alimentícios para os animais, assim como aceitar a doação de produtos para os animais, como roupas, remédios, coleiras, guias, abrigos, caixas de transporte, brinquedos e produtos de limpeza. A Lei Municipal nº 12.718, de 22 de junho de 2018, de autoria da vereadora Daniele Ziober (PP), foi sancionada pelo prefeito Marcelo Belinati (PP).

“O Banco de Ração não existia no Brasil, até que tivemos a ideia de criarmos ele. A ideia saiu de dentro do meu gabinete, de minha autoria, porque eu queria que a Prefeitura pudesse ajudar essas ONGs, os protetores e as famílias que ajudam os animais que estão na rua e que vêm de abandono e de situações de maus-tratos”, explicou a vereadora. Com informações de N.Com.