Prefeito de Londrina reitera necessidade de comércio fechado e isolamento

Belinati discorda de pronunciamento do presidente e quer seguir embasamento científico neste momento, mas vai avaliar situação dia a dia

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, reiterou nesta quarta-feira (25) a necessidade de o comércio continuar fechado e de a população seguir em isolamento social, para conter a transmissão do novo coronavírus. Em entrevista coletiva virtual sobre um programa de doações para ajudar quem mais precisa, ele afirmou que discorda do pronunciamento feito pelo presidente Jair Bolsonaro na noite de terça-feira (25) e que prefere seguir os critérios científicos adotados por líderes dos principais países do mundo.

Belinati disse que não aceita declarações como a do empresário e apresentador Roberto Justus, que sugeriu que o fechamento do comércio tem impacto mais danoso do que benéfico. O prefeito considerou que é fácil para Justus dizer isso, porque teria dinheiro para montar uma UTI na própria casa se precisasse, mas que essa não é a situação da grande maioria da população.

Índia, Itália, Reino Unido e as cidades norte-americanas Nova York e Miami foram citadas pelo prefeito como exemplos. "Isso acontece porque especialistas analisaram que o isolamento social é melhor maneira de prevenir que mais pessoas possam contrair o vírus e proteger vidas."

O presidente da Acil (Associação Comercial e Industrial de Londrina), Fernando Moraes, também participou e disse que gostaria muito que o comércio ficasse fechado apenas pelos próximos 15 dias e citou o "isolamento vertical", defendido por Bolsonaro e que implica que apenas pessoas em grupos de risco fiquem em casa. "Mas é preciso entender como isso é possível, porque ainda não sabemos", completou.

Solidariedade - O prefeito lançou nesta quarta-feira o programa de voluntariado e de doação de produtos, para ajudar famílias e pessoas de baixa renda. No site da Prefeitura, as pessoas encontrarão uma aba com o título "Seja um Voluntário", para ajudar no trabalho assistencial.

O presidente da Acil lembrou que algumas empresas grandes da cidade já estão doando pacotes de fraldas e de bolachas, para dar o exemplo. 

Interessados em participar podem ligar para o telefone 0800-4000-140. A ligação é gratuita e permite também o atendimento à população que necessite de ajuda psicológica por profissionais da área. 

Leia mais