Por que estamos tão ansiosos?

Neuropsicóloga e professora da PUC aponta alguns motivos

Os Transtornos de Controle de Impulso (TCIs) podem ser definidos como a dificuldade do paciente, mediante ao aumento da tensão, em resistir a determinados estímulos. De acordo com pesquisas recentes, transtornos de humor e de ansiedade podem ter relação com este quadro. Em sua maioria, os TCIs são compostos por patologias de ordem grave e de difícil manejo terapêutico. Elas atingem, ainda, a população que apresenta comportamentos de risco, incluindo tentativas e efetivação de suicídio.

Recentemente, a PUC Londrina realizou Simpósio dos Transtornos de Impulso com o objetivo de abordar este tema. O evento contemplou a discussão sobre a neurobiologia e tratamento destas patologias, que é um assunto de grande impacto para a saúde pública. Uma vez que o Brasil se posiciona entre os países com os maiores índices de suicídio, na contramão do que demonstram os dados estatísticos dos países desenvolvidos.

Juliane Goldoni Borges, neuropsicóloga e professora da PUC, participou do simpósio e deu algumas explicações sobre quais temas foram abordados no evento e que possuem relevância para todos. “Faz-se importante fomentar o debate e a pesquisa na área de saúde mental, para que se firmem, cada vez mais, os tratamentos baseados em evidências em nome de uma psicologia mais efetiva e epistemológica em sua proposta de tratamento”.

De acordo com os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo: 18,6 milhões de pessoas (9,3% da população) convivem com o transtorno. Juliane Borges aponta alguns fatores que contribuem para o aumento no número de casos. “No cenário do alto índice de transtornos de ansiedade no país, pesam fatores socioeconômicos, como a pobreza, o desemprego, a desigualdade e a recessão, e fatores ambientais, como o estilo de vida em grandes cidades. Tais situações, portanto, podem ser consideradas fatores de risco para o desenvolvimento de ansiedade e depressão”.

A principal hipótese para que o Brasil seja o país mais ansioso do mundo está nos fatores de risco para transtornos de ansiedade, explica a especialista. "Estes fatores estão se fortalecendo com a atual situação do país. Desigualdade social, pobreza, traumas na infância e estresse são alguns dos fatores que podem vir a ser condições para o desenvolvimento de um transtorno ansioso. Além disso, a ansiedade pode estar relacionada ao excesso de tarefas que a população Brasileira vem enfrentando. A atual crise financeira e os índices de violência nas grandes cidades também refletem na população, gerando um ambiente favorável para os transtornos mentais".

Jornalismo Paiquerê FM News