Governador anuncia quarentena regionalizada e inclui Londrina

Medidas entram em vigor amanhã

Em pronunciamento realizado na tarde desta terça-feira (30), o governador Ratinho Junior anunciou novas medidas para frear o avanço do novo coronavírus no Estado. O gestor negou a implementação de lockdown, ele avaliou que a quarentena mais restritiva, em algumas regiões do Paraná, tem a finalidade de não permitir que a situação saia do controle. Ratinho Junior afirmou que o Paraná está com o sistema de saúde organizado, no que diz respeito à quantidade de respiradores e os leitos, mas que o Estado enfrenta falta de insumos, como a medicação que é usada para intubar pacientes com quadros mais graves da doença, e de profissionais que atuam em UTIs. O problema tem sido registrado em várias partes do mundo.

Para o diretor-geral da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Nestor Werner Junior, caso o estado não adote novas medidas, o Paraná pode atingir um colapso no sistema de saúde, com falta de leitos. Ratinho Junior afirmou que as ações serão regionalizadas, já que 75% dos casos de Covid-19 estão em 134 municípios. 

O secretário Beto Preto indicou que o Governo do Estado, via decreto, vai impor medidas mais restritivas, válidas por 14 dias, a partir desta quarta-feira (1º) nas regiões de Cornélio Procópio, Londrina, Cianorte, Toledo, Cascavel, Foz do Iguaçu e Região Metropolitana de Curitiba. Ratinho Junior afirmou que o decreto é uma determinação. O governador disse que conversou com os prefeitos e representantes dos municípios para as novas regras sejam cumpridas. Ratinho Junior apontou que as restrições atingem principalmente o setor do comércio, com a finalidade de manter as atividades essenciais. 

O documento prevê a suspensão dos serviços não essenciais por dias nas sete regiões, como shoppings, academias e salões de beleza; reuniões comerciais ou privadas devem ser prioritariamente virtuais, em caso de presenciais, com no máximo 5 pessoas; suspensão de procedimentos cirúrgicos eletivos, além de monitoramento da entrada de pessoas nos municípios, a partir de barreiras sanitárias.  

Leia mais